quarta-feira, 14 de julho de 2010

A conversão do rasgador de panfleto

A conversão do rasgador
De panfleto

Em uma bela cidade
Do nosso Brasil varonil
Houve um fato interessante
Que muito repercutiu
Foi no meio evangélico
A maior repercussão
Um moço testemunhava
Sobre sua conversão
E como foi que colocou
Jesus em seu coração

Um crente evangelizava
Pelas ruas da cidade
Entregando literatura
Anunciando a verdade
Com um moço encontrava-se
Como quem vem do trabalho
E naquele itinerário
Todo dia, no horário
O crente lhe entregava
O panfleto literário

O moço não se agradava
Com cara feia rasgava
Sem nenhuma educação
Jogava na rua e saia
E muita gente assistia
A sua ingratidão
Mais sempre que encontrava
Esta mesma criatura
O crente lhe entregava
A fiel literatura

Um dia o moço pegou
O panfleto ofertado
Rasgou em pedacinhos
E jogou bem para o alto
E foi pra casa contente
Por ter mais uma vez
Rasgado a literatura
Que tanto lhe incomodava
Quando o crente entregava
Pra ele naquela rua

Mais assim que aquele moço
Em sua casa chegou
Tirou a camisa e jogou
Em um canto do seu quarto
Do seu bolso lá voou
Um pedaço de papel
O moço então pegou
Mais para surpresa sua
Era um dos pedacinhos
Daquela literatura

O moço resolveu lê
No quarto sem ninguém ver
O que estava escrito
E ficou muito à-vontade
Longe do crente e amigos
Mais algo lhe atraiu
No pedaço de papel
E sem que alguém visse
Leu que tava escrita
A frase, Jesus disse

Jesus disse, Jesus disse
Repetia sem parar
Jesus disse, Jesus disse
No banheiro a banhar
Jesus disse, Jesus disse
Na mesa ao jantar
Jesus disse, Jesus disse
Na cama ao deitar
Jesus disse, Jesus disse
Ele ficava a falar

Dormiu e assim sonhava
Repetindo a mesma frase
Jesus disse, Jesus disse
Em sua mente falava
E amanhecendo o dia
Consigo se surpreendeu
Pois ele não entendeu
O que tava acontecendo
Jesus disse, Jesus disse
Ele continuava dizendo

E quase em desespero
Resolveu falar ligeiro
E o que foi que Jesus disse
Agora quero saber
Vou falar com aquele crente
E ele vai me dizer
E saiu para o trabalho
Na manhã daquele dia
Jesus disse, Jesus disse
Em sua mente fluía

E quando chegou o horário
Fez o mesmo itinerário
E encontrou o irmão
Entregando literatura
Cumprindo sua missão
E o moço lhe parou
E pediu sua atenção
O que foi que Jesus disse
Pois minha mente insiste
E arde meu coração

E o crente ouviu sua história
Deu aleluia e glorias
E disse eu vou dizer
O que foi que Jesus disse
Para mim e pra você
Esta escrito na Bíblia
Jesus disse eu sou o caminho
A verdade e a vida
E ainda falou assim
Sou o princípio e o fim

Jesus disse e eu te digo
Falo-te de coração
Entrai pela porta estreita
Porque larga e a porta
Que conduz a perdição
Jesus disse e eu te digo
Usando de muita calma
Que aproveita ao homem
Ganhar o mundo inteiro
E perde a sua alma

Jesus disse e eu te digo
Vinde a mim todos os cansados
Maltratados e oprimidos
E disse mais, com atenção
Tomai sobre vos o meu jugo
E aprendei de mim que sou manso
E humilde de coração
E ainda disse com amor
Quem rejeita a mim
Rejeita quem me enviou

O crente continuou
Dizendo o que Jesus disse
O moço se convenceu
O que Jesus disse ele creu
Depois falou para o crente
Um novo crente sou eu
E foi assim meus leitores
Como acabaste de ler
Que o rasgador de panfleto
Veio a se converter
FIM
AUTOR João Batista Menezes Nascimento
/escritorjoaobatista.blogspot.com

5 comentários:

  1. Paz,

    Parabéns, pelo seu trabalho neste blog. Que Deus em Cristo Jesus continue lhe abençoando poderosamente.

    Estou seguindo o vosso blog.

    Aproveito pra lhe convidar a visitar meu blog também. Avivamento pela Palavra é um blog voltado aos amantes da Bíblia sagrada como Verdade Absoluta e que só através Dela seremos mais crentes e mais cheios do Espirito Santo. Comente, pois seus comentários são muito importante para mim poder estar sempre em melhorias no meu blog.

    http://www.alexandrepitante.blogspot.com/

    Siga-nos também.

    Fica com Deus.
    Abraço em Cristo, Alexandre Pitante.

    ResponderExcluir
  2. Este fato é bem edificante uma bençao de Deus pra todos que leem, felicidades que o Senhor esteja te abençoando grandemente. Fique na paz

    ResponderExcluir
  3. Não sei como o irmão chegou até o meu blog, mas agradeço suas palavras deixadas lá. Não tenho tido muito tempo para atualizá-lo, mas o meu objetivo é que ele sirva de instrumento de bênção nas mãos de Deus. Fico feliz pelo irmão ter sido edificado. E toda a honra e glória seja dada a Jesus!
    Que o Senhor também use a vida do irmão para edificar outras vidas por intermédio dos seus cordéis.
    A Paz de Cristo!

    ResponderExcluir
  4. A paz, amado irmão! Publiquei seu poema no meu blog Seleções Evangélicas. Um Abraço.

    ResponderExcluir
  5. Olá irmão João Batista a paz de Cristo. Demorei mas estou aqui, para te parabenizar pelo lindo blog de maravilhosas poesias. Parabéns!
    Deixo esse para você.

    Jesus, o amigo Leal.

    Na verdade é dificil encontrar
    Alguem que possa nos entender
    Nos dificeis momentos,no sofrer
    Alguem como Jesus à nos cuidar
    2
    É impar Jesus, nosso Ágape amigo
    Sua ternura conforta-nos a alma
    Sendo eu avesso, Ele usa de calma
    E procede gentilmente Ele comigo
    3
    Pode ter outro amigo, não igual...
    Pois está pronto a ouvir o peregrino
    Esse mísero pecador, quase sem tino;
    Jesus lhe ouve;esse amigo mais leal!
    4
    Ele me diz: Vem a mim que te darei
    Pra o seu canssaço a minha guarida
    Em refrigério dou-te da água da vida
    Braços amigos... Neles te confortarei!
    -----
    Laerço dos Santos

    ResponderExcluir